23 março 2012

Amor infame.


Não creio que muitas pessoas irão ler este post atenciosamente, ou com calma, mas postarei assim mesmo pois este é um post que refiz muitas vezes pra que fosse escrito da maneira mais sincera e verdadeira possível e ainda que ninguém leia, compartilhado estará.
Amor infame

Passou-se muito tempo desde que nos conhecemos e desde então tenho vivido esse drama interior. Passava dias e noites pensando no momento em que iria falar com você e finalmente te ver, sempre me imaginando ao seu lado nas mais diversas situações. Passou algum tempo e você já conhecia boa parte daqueles que estavam mais próximos de mim e com isso tudo começava a ficar mais sério. Eis que veio o banho de água fria e de repente, sem qualquer motivo ou explicação você simplesmente arrancou aquilo que eu vinha cultivando com tanto amor e carinho. O sentimento que havia crescido em mim já era maior do que eu imaginava e ao me deparar com a inesperada notícia de fim, me vi aos prantos e sem rumo.  Com o tempo percebi que não me alimentava normalmente e poucas vezes conseguia ter uma noite de sono completa, socialmente então que já não era plausível piorou gradativamente. Aquele seu teatro de culpa não me comovia nenhum pouco, pois nada desfazia os poucos momentos que passamos juntos e como tudo aquilo terminou covardemente.
Tentei seguir minha vida como se nunca tivesse te conhecido e quanto mais eu tentava mais eu me frustrava. Aos poucos percebi que precisava me ocupar com outras pra poder te esquecer. Habituei-me com aquele universo novo em que andava vivendo assiduamente pra poder te esquecer e eis que você aparece nele. Não consegui ser forte o suficiente e apesar de ter em mente o tipo de pessoa que você era; ainda criava ilusões a nosso respeito, mas eu nada conseguiria de você a não ser uma diversão de momento. Isso se repetiu mais algumas outras vezes e era sempre a mesma coisa e as mesmas decepções. 
Isso uma hora tinha que realmente acabar, não dava simplesmente pra ir levando isso como “diversão de momento”. Acontece que acabou e cá estou eu vivendo a minha vida e você vivendo a sua. Depois de tantas e tantas conclusões tiradas nesse período de quase três anos eu descobri que hoje eu sou o que você causou em mim, pois desde o momento em que o “nós” não existia mais, deu-se inicio no meu interior, não a uma sequência de sofrimentos sem fim e sim a um processo de provar pra mim mesma que eu conseguia ser muito mais do que aquele amor infame. Antigamente eu lamentava o fato de um dia ter te conhecido, mas hoje eu agradeço, pois se fiz o que fiz e vivi o que vivi com ou sem você foi tudo fruto de um sentimento que no começo eu cultivei cuidadosamente e que não deu frutos. Não serei hipócrita ao ponto de dizer que te esqueci, já cometi muito esse erro, mas posso dizer que aprendi a viver sem você.

Bruna

10 comentários:

  1. Já passei por isso e sei como é. Mas eu aprendi a conviver comigo. "É confortante, saber que eu não preciso da outra metade para me fazer feliz. Saber que sou independente, forte e capaz de fazer as coisas por mim mesma." Acabei de ler um post sobre isso.
    xoxo

    ResponderExcluir
  2. que lindo esse texto de superação! faz parte da vida!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa Bruna, eu li seu texto todinho! Seu desabafo ( pelo menos é o que acho que isso foi) foi totalmente bem escrito e que bom que está superando ou já superou, e pelo menos tentou S2

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Tudo bom?
    Adorei seu blog ^^ Já estou seguindo...
    Lindo o texto... Parabéns...

    Deixo o convite para visitar meu blog que está no comecinho ainda, mas que foi feito com muito carinho. ^^
    Beijinhos...
    Oceano Literário – http://www.oceanoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Bom dia! que demais
    achei lindoo, beijos!
    e bom feriadãao ;)

    ResponderExcluir
  6. esse é um bom pensamento, esquecer você nunca vai né? Melhor aprender a viver sem ele.

    ResponderExcluir
  7. Que bom que voltou a postar Bru! Nossa, desculpa a demora para retribuir sua visita, é que eu tava meio afastada do "mundo dos blogs" uhauhauahua.
    Lindooo esse texto, apesar de um pouco triste né, mas todas passamos por isso, e acho que de alguma forma isso nos fortalece e nos faz crescer =).
    Bj

    ResponderExcluir
  8. @Caroline SilvaVoltei sim ca, não com muita frequência mas esse mundo bloguerístico já faz parte de mim, não consigo largar! Bjs

    ResponderExcluir
  9. @Luiza Obrigada Lu! Eu vezes eu acho que ainda estou tentando, outras que já consegui esquecer, o coração por aqui é bem confuso, mas deixar de viver nunca! ;D

    ResponderExcluir
  10. @JaqueVerdade jaque, ser dependente de algo ou alguém não é algo que me agrada muito. Acho que nasci pra ser livre.

    ResponderExcluir